SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS
DE LAGES E REGIÃO
07/01/2019 - SE SEU BANCO FALIR, FUNDO DEVOLVE ATÉ R$ 250 MIL; SAIBA COMO FUNCIONA O FGC
07/01/2019 - Teclado Itaú, que manda dinheiro via WhatsApp, atinge 1 mi de usuários
07/01/2019
SE SEU BANCO FALIR, FUNDO DEVOLVE ATÉ R$ 250 MIL; SAIBA COMO FUNCIONA O FGC

 



(Téo Takar)

Você já deve ter ouvido falar que alguns investimentos são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Ou seja, se o banco quebrar, você recebe o dinheiro que aplicou de volta, até um certo limite. Mas você sabe como isso funciona?

O FGC é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que administra os recursos usados para ressarcir correntistas e investidores nos casos em que uma instituição financeira sofre intervenção do Banco Central ou tem sua liquidação ou falência decretada. O fundo foi criado em 1995, a partir de uma resolução do CMN (Conselho Monetário Nacional).

Quais bancos fazem parte do FGC?
É obrigada e se associar ao FGC qualquer instituição financeira que ofereça aos seus clientes conta corrente, poupança, depósitos a prazo (CDB e RDB), letras de câmbio (LC), letras de crédito imobiliário (LCI) e letras de crédito do agronegócio (LCA).

A lista de associados inclui bancos comerciais, múltiplos, de investimento e de desenvolvimento; sociedades de crédito, financiamento e investimento; sociedades de crédito imobiliário, companhias hipotecárias e associações de poupança e empréstimo.

Você pode conferir aqui a lista completa das instituições associadas.

Como funciona o limite de garantia? 
A proteção do FGC é limitada a R$ 250 mil por pessoa física (CPF) ou jurídica (CNPJ) em cada banco.

A soma dos recursos depositados em um mesmo banco --saldos de conta corrente, poupança, CDBs e RDBs, letras de crédito (LCI e LCA), letras de câmbio (LC) e letras hipotecárias (LH)-- não pode ultrapassar esse limite. Se você tiver duas contas correntes no mesmo banco, vale o limite de R$ 250 mil para o saldo total das duas contas.

Se for uma conta conjunta com outra pessoa, a garantia do FGC continua limitada a R$ 250 mil por conta. Nesse caso, o valor é rateado entre os titulares da conta. Por exemplo, se você e sua mulher tiverem R$ 300 mil em uma conta conjunta, cada um receberá R$ 125 mil em um eventual ressarcimento.

Já se você tiver uma conta de pessoa física e outra de pessoa jurídica (da sua empresa) no mesmo banco, elas são consideradas independentes. Ou seja, cada conta terá direito a uma proteção de até R$ 250 mil.

Limite de R$ 1 milhão por quatro anos
Além disso, há um segundo limite de uso do FGC, de R$ 1 milhão por pessoa, que é válido por quatro anos. Esse limite só é considerado se você der o azar de ter depositado dinheiro em quatro ou mais bancos que quebraram ao longo desse período. O prazo é contado a partir do primeiro uso do FGC.

O que não está coberto pelo FGC? 
Nenhum fundo de investimento --renda fixa, multimercados, ações- -conta com cobertura do FGC. Fundos de previdência (PGBL e VGBL) também não possuem proteção.

Investimentos em renda variável, como ações e opções, debêntures, fundos imobiliários e LIG (Letra Imobiliárias Garantida)também ficam de fora do FGC. Não confunda a LIG com a LCI --a LCI é coberta pelo FGC.

Pode ter cobrança de IR 
O ressarcimento do FGC está sujeito à retenção de Imposto de Renda, conforme o tipo de aplicação que foi protegida.

Se você tiver R$ 250 mil em um CDB, por exemplo, receberá o valor líquido de IR conforme o prazo da aplicação. Se o mesmo valor estiver em uma LCI, receberá o saldo integral, pois esse produto é isento de IR.

Em quanto tempo o FGC paga o investidor? 
Não há um prazo fixo para que o ressarcimento seja liberado. O FGC depende das informações passadas pelo interventor ou liquidante do banco, como a lista de credores da instituição. Uma vez recebidas essas informações, o pagamento é feito em até 15 dias.

Nos casos recentes de quebra ou intervenção de bancos, os clientes receberam seus recursos de volta cerca de dois meses após o início do processo. 

Como o FGC é mantido? 
Todas as instituições associadas contribuem mensalmente com 0,01% do valor total dos depósitos que contam com cobertura do FGC para manter do fundo. 

No primeiro semestre de 2018, o FGC possuía um patrimônio de R$ 69,7 bilhões. No mesmo período, o fundo precisou ressarcir R$ 144 milhões a clientes de instituições que apresentaram problemas, como o banco Neon e a Domus Cia. Hipotecária.
Fonte = UOL
 
  • LUIZ HENRIQUE RODRIGUES COSTA | 02/07

  • GRAZIELLY MIGUEL DE SOUZA | 03/07

  • OLIZANDRO A. KOVALSKI | 03/07

  • IVONETE ALVES CARNEIRO | 04/07

  • DENISE CRISTINA MEDEIROS | 04/07

  • LUCIANE SILVA HANDESSEM | 05/07

  • RODRIGO TRDAPALLI NUNES | 06/07

  • VINICIUS GUILHERME PINTO | 07/07

  • ALEXANDRE DINIZ HENINGER | 12/07

  • ROBERTO CARLOS DA SILVA PAES | 12/07

  • WERNER WULFF JUNIOR | 15/07

  • GUSTAVO DA ROCHA | 18/07

  • ELIANE PIRES ENCKEMAIER | 20/07

  • MARIA T. MALDANER GHIORZI DE ARRUDA | 21/07

  • SALVIO CORDOVA PEREIRA | 21/07

  • RICARDO DO AMARAL SOUZA | 22/07

  • SERGIO RICARDO KREMER | 23/07

  • PABLO REGIS WALTRICK | 26/07

  • PRISCILA BORGES F. DAS MERCES | 28/07

  • LARISSA ZANOTTO CRUZ | 29/07



BASE TERRITORIAL
FILIADO A

LAGES, Anita Garibaldi, Abdon Batista, Bom Jardim da Serra, Campo Belo do Sul, Celso Ramos, Urupema, São Joaquim, Curitibanos, Otacílio Costa, Santa Cecília, Correia Pinto, São José do Cerrito, Ponte Alta

Todos os Direitos Reservados 2012
SEEB LAGES E REGIÃO | Desenvolvido por Getsystem
Rua Baependi, 183 - CENTRO, LAGES/SC CEP 88502-140